domingo, 17 de abril de 2011

MALAQUIAS, Introdução e Esboço

MALAQUIAS
Introdução
e
Esboço

Por
Pr. Marcelo Rateiro

Março de 2011

(Extraído do Estudo Realizado Pelo Pr. Itamir Neves)

 
INTRODUÇÃO
A época exata de Malaquias não é conhecida. Geralmente se admite que ele viveu perto de 100 anos depois de Ageu e Zacarias, e que esteve associado a Esdras e Neemias nas reformas que empreenderam. Sua época é fixada aproximadamente em 450-400 a.C.
Um restante voltara do cativeiro, 538 a.C. Sob a direção de Ageu e Zacarias e reedificaram o Templo, 520-516 a.C. Vinte anos depois, 458 a.C. Esdras viera de Babilônia a Jerusalém, para ajudar a reorganizar e a estabelecer a nação. Treze anos mais tarde, em 445 a.C. veio Neemias e reconstruiu os muros.
No tempo de Malaquias, os judeus já haviam votado da Babilônia fazia uns 100 anos, curados, pelo cativeiro, de sua idolatria, mas agora estavam em decadência, pois, negligenciavam a Casa de Deus. Os sacerdotes tinham-se tornado relaxados, corruptos. Os sacrifícios eram de péssima qualidade. Negligenciavam os dízimos. Voltaram-se ao velho costume de misturar-se, pelo casamento, com os povos idolatras, (Ed 9).
Assim é que os judeus, favoritos do Senhor acima de todas as nações, desanimados pela sua fraqueza, apegados aos seus pecados, estavam tranqüilos, num estado de indiferença moral, social e espiritual, aguardavam a vinda do Messias prometido. Malaquias assegurou-lhes que o Messias viria no tempo marcado, mas isso significaria juízo para eles. É A ultima mensagem do A.T. a uma nação desobediente.

Malaquias acusa o povo de quebrar vários princípios divinos quando  quebraram as alianças:
a. De Levi (2.5-9);
b. Dos pais (2.10);
c. Do matrimônio (2.14);
d. O Anjo da aliança (3.1).

Seu nome significa "meu mensageiro", e pouco ou nada se sabe de vida pessoal, mas através da sua profecia percebe-se que se caracteriza por ser um canal limpo da voz de Deus, também por ser corajoso em apontar o pecado mesmo diante da indiferença do povo. Ele demonstra sobretudo ser confiante na imutabilidade de Deus, na promessa de que nunca esqueceria os que Lhe são obedientes.

O tema do livro é o amor de Deus para com o seu povo demonstrado através de um apelo ao arrependimento pelo pecado e à volta ao convívio com Deus - "...tomai-vos para mim... (3.7). Deus quer ter uma relação de pai para com o filho (1.6; 2.10; 3.17). Deus quer abençoar seus filhos (3.10-12).
Quando ocorre a quebra da relação, pelo pecado da negligência, Deus disciplina (1.9; 3.9, 11). O apelo divino é acompanhado de uma séria advertência ­"...chegar-me-ei a vós outros para juízo..." (3.5) mas é acompanhado também de uma promessa - "...eu me tomarei para vós..." (3.7).
Deus é o personagem central do livro: dos 55 versículos do livro, 47 deles registram a própria palavra de Deus para o povo.
Em Malaquias temos a prova do amor de Deus, com a promessa da vinda de Jesus - "...de repente virá ao seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da aliança a quem vós desejais; eis que ele vem..." (3.1) e Sua gloriosa salvação, que receberá todo aquele que O teme ­"...para vós outros que temeis o meu nome nascerá o sol da justiça, trazendo salvação nas suas asas ..." (4.2).

Podemos esboçar o livro da seguinte forma:
1- Declínio religioso - 1.1 - 2.9
2- Decadência moral- 2.10-16
3- Degradação social - 2.17 -3.5
4- Dedicação espiritual- 3.6-12
5- Definição final- 3.13 - 4.6

Mesmo que as palavras proféticas de Malaquias foram proferidas a mais de 2.400 anos, não perderam seu valor. Elas são importantes para nós cristãos do século XXI, pois nos ajudam a reconhecer:
a. As pressões e as tentações que nos sobrevêm após grandes conquistas.
b. O desgaste imperceptível que pode sofrer a nossa fé.
c. O perigo de nos tornarmos hipócritas ao perdermos a intimidade com Deus.
d. Que o sofrimento pelo qual passamos, muitas vezes se origina pela dureza do nosso coração e por causa da nossa desobediência.

Mas Malaquias não trata apenas do pecado. Ele transmite a esperança que tem origem em Deus. Todos podemos experimentar o que Deus nos oferece:
a. Deus mostra um caminho de volta.
b. Esse caminho é do arrependimento (3.7).
c. Os que andam por esse caminho são sempre lembrados e abençoados por Deus (3.16-18).
d. A grande bênção que nos aguarda é a volta do Senhor Jesus Cristo (4.2-3)!

CONCLUSÃO
As palavras de Malaquias têm valor para nós que vivemos no século XXI pois,
1 - Diante delas, o verdadeiro cristão sente-se estimulado a viver dignamente com Deus e o próximo.
2 - Diante delas, aquele que vive de modo descompromissado é desafiado a reformular o seu viver cristão.
3 - Diante delas, aquele que vive de modo aparente é desafiado a deixar a hipocrisia e levar Deus a sério.
4 - Diante delas, aquele que vive corretamente é estimulado a viver de tal maneira que honre e glorifique a Deus.
5 - Diante delas, aquele que vive sinceramente é encorajado a viver e confiar ainda mais na volta de Jesus Cristo!

Que, ao estudarmos detalhadamente a Palavra de Deus em Malaquias, possamos, capacitados pelo Espírito Santo, colocá-Io em prática, demonstrando que ser verdadeiros seguidores de Jesus Cristo; verdadeiros adoradores, que o adorem em espírito e verdade (Jo 4.24)

ESBOÇO DAS MESSAGENS 

CONFIANÇA NO AMOR DE DEUS
Cap. 1.1-5

Todos nós devemos crer no amor de Deus, independentemente das mais diversas circunstâncias.

Este texto nos mostra 3 atitudes corretas que demonstram a nossa confiança no eterno amor de  Deus:

I - Confiar plenamente na declaração do amor de Deus - v.2

II - Desconfiar das circunstâncias que "negam"o amor de Deus - v.2, 5

III - Confiar nas demonstrações práticas do amor de Deus  - v.3-4

Conclusão - v.5
Convencidos e confiando no grandioso amor de Deus somos levados a declarar: "Grande é o Senhor também fora dos termos de Israel".
e: estaremos prontos a revelar esse amor ao mundo. 



DESPREZO AO SENHOR
Cap. 1.6-14

Devemos estar atentos para que a nossa vida religiosa não nos leve a desprezar o Senhor.

Neste texto encontramos três manifestações do desprezo ao Senhor que devemos evitar a qualquer custo.

I - O desprezo ao Senhor manifesta-se através da desonra - v.6

II - O desprezo ao Senhor manifesta-se através do desrespeito - v 7-10

III - O desprezo ao Senhor manifesta-se através do desinteresse - v.12-13

Conclusão - v.11 e 14
1. Enquanto o povo de Deus O despreza, o nome do Senhor é honrado entre as outras nações - v.11, 14
2. A grandiosidade do Senhor é expressa além dos limites geográficos - v. 5, 11, 14
3. A recompensa do Senhor é severa contra os que tendo a possibilidade de cultuá-lo corretamente o fazem de modo desprezível - 14a.



CULTUANDO A DEUS NA INTIMIDADE
Cap. 2.1-9

O nosso culto é uma demonstração de como vai a nossa vida de intimidade com Deus.

Malaquias nos apresenta três contrastes que demonstram o valor que damos a intimidade com Deus. 

I - O 1o contraste é observado no tipo de vida dos que cultuam a Deus -
1. O tipo de vida dos que desprezam a Deus - v.2
2. O tipo de vida dos que amam a Deus - v.5

II - O 2o contraste é observado no tipo do serviço com que se cultua a Deus -
1. O serviço caracterizado por erros diante de Deus - v.8, 9
2. O serviço caracterizado por acertos diante de Deus - v.6,7

III - O 3o contraste é observado na recompensa que o culto proporciona -
1. As recompensas do culto hipócrita - v.2, 3 e 9
2. A recompensa do culto verdadeiro - v.4, 5

Conclusão
Temos a possibilidade de optar: cultuarmos sinceramente ou falsamente.
Qual é a escolha que fazemos?



FIDELIDADE UMA PRIORIDADE DA VIDA CRISTÃ
Cap. 2.10-16

O Deus da Aliança, por ser fiel em seus compromissos, requer completa fidelidade na vida do seu povo.

Este texto de Malaquias nos revela 3 áreas onde Deus requer nossa completa fidelidade:

I - Deus requer fidelidade em nosso relacionamento comunitário - 2.10

II - Deus requer fidelidade em nosso relacionamento com Ele - 2.11-12

III - Deus requer fidelidade em nosso relacionamento matrimonial- 2.13-16

Conclusão
1. Deus quer que tenhamos relacionamentos edificantes.
2. Deus quer que mantenhamos nossas convicções.
3. Deus quer que nossos casamentos sejam eternos!



AS AÇÕES DE DEUS EM NOSSO FAVOR
Cap. 2.17 a 3.5

Mesmo quando não percebemos, Deus age em favor do Seu povo.

Nestes versículos encontramos três ações de Deus em benefício do Seu povo:

I - Deus escuta os nossos questionamentos - 2.17

II - Deus encaminha Sua solução - 3.1-4

III - Deus executa Seu juízo - 3.5

Conclusão
Podemos incorrer no mesmo erro de Israel: esperamos o Senhor para que Ele condene os injustos, mas esquecemos que o juízo começará por nós mesmos. Portanto:
1. Tenhamos uma vida santa!
2. Não nos irritemos com os injustos!
3. Confiemos na justiça e amor de Deus!



DEUS É DIGNO DE CONFIANÇA!
Cap. 3.6-12

Todos os cristãos são desafiados a comprovar sua confiança em Deus, entregando-lhe toda sua vida.

Este texto nos mostra 3 atributos de Deus que nos encorajam a confiar nEle, entregando-lhe nossa vida:

I - Deus é imutável - 3.6-7

II - Deus é fiel - 3.8-10a

III - Deus é bondoso - 3.10b-12

Conclusão
1. Podemos e devemos confiar em Deus!
2. Diante de tudo o que tem nos dado, Deus espera que entreguemos toda nossa vida a Ele.
3. Deus quer, em primeiro lugar a nossa vida e depois aquilo que podemos fazer ou dar para Ele.
4. Quando a minha vida é do Senhor, contribuo com alegria.
5. Sejamos corajosos, entregando o que é mais precioso a Deus: entreguemos nossas vidas a Deus!



A DIFERENÇA ENTRE OS PERVERSOS E OS PIEDOSOS
Cap. 3.13 - 18

Vivamos sempre tendo em vista o grande e maravilhoso dia do Senhor!

Estes versículos nos mostram o contraste entre dois tipos de vidas:

I - A vida dos perversos -
    Aqueles que não se apercebem do dia do Senhor - 3.13-15

II - A vida dos piedosos -
     Aqueles que vivem tendo em vista o dia do Senhor - 3.16 e 17

Conclusão - 3.18
Você está em dúvida?
1. Vale a pena temer a Deus?
2. Deus não vê a nossa aflição?
3. Deus não vê as injustiças praticadas por outros?
4. Deus não vê o meu empenho e minha diligência em viver piedosamente?

Tenha essa certeza:
"Então, vereis outra vez a diferença entre o perverso e o piedoso"!!!



O GRANDE E TERRíVEL DIA DO SENHOR
Cap. 4.1 - 6

Todos nós somos desafiados a nos preparar para o grande e terrível dia do Senhor.

Neste texto final de Malaquias vemos quatro características desse grandioso dia:

I - Esse dia caracteriza-se por trazer vergonha aos perversos - 4.1

II - Esse dia caracteriza-se por trazer vitória aos piedosos - 4.2-3

III - Esse dia caracteriza-se por basear-se nos juízos do Senhor - 4.4
     
IV - Esse dia caracteriza-se por revelar a misericórdia do Senhor - 4.5-6

Conclusão
Enquanto não vem o grande e terrível dia do Senhor:
1. Hoje é dia de arrependimento e conversão!
2. Hoje é dia de confirmação!
3. Hoje é dia de obedecer!
4. Hoje é dia de clamar por misericórdia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário